Filosofia - O que é Religião, e o que é Religiosidade - Existe religiosidade dentro e fora da religião.

Você saberia me dizer quais desses símbolos se enquadrariam a religião e qual a religiosidade?

Hoje vamos falar de Religião e Religiosidade.
 Para adentrar ao estudo etnobiológico em conjunto com a legislação ambiental e social, tive que pesquisar exatamente esses dois termos que dividem opiniões e que também confundem a cabeça de muitas pessoas, principalmente as dos próprios religiosos. Tentei resumir ao maximo tudo que li, e expressar para vocês de maneira que podesse ser entendido.
Mas verdadeiramente, qual a diferença entre esses dois termos?
RELIGIÃO - Deriva do termo latino "Re-Ligare", que significa "religação" com o divino. Essa definição engloba necessariamente qualquer forma de aspecto místico e religioso, abrangendo seitas, mitologias e quaisquer outras doutrinas ou formas de pensamento que tenham como característica fundamental um conteúdo Metafísico, ou seja, de além do mundo físico “Âmbito apenas espiritual”. Teve seu nascimento com o cristianismo a 2000anos atras, com maior introdução com Agostinho.
RELIGIOSIDADE - Reunião das virtudes religiosas; preceitos éticos de caráter religioso, ou seja são rituais que você pratica rotineiramente durante o dia ou a vida, e isso independe da ligação com um ser divino pois é algo seu e de responsabilidade inteiramente sua. Não se existe relatos de data fixa ao seu surgimento, mas é algo que existe e existiu desde o inicio da evolução humana como meios de estabelecer ao ser humano a dada capacidade de sobreviver, trabalhar e evoluir em conjunto ou não, em grupos destintos "Tribos, comunidade, cultura e etc"
    Um exemplo a entender seria: o que você faz do acorda ao levantar? Você lava os olhos, as mãos, escova os dentes, toma banho, reza/ora ou não, toma café, vai a escola ou ao trabalho, vai almoçar ou volta para casa, depois do almoço vai dormir ou volta a trabalhar, volta para casa descansar ou vai a faculdade, volta para casa toma banho reza/oura ou não, Janta, reza/ora ou não e vai dormir. Você também tem que saber como vai agir em determinadas situações, parece ser uma simples rotina não é? Porém há algum muito mais profundo nisso, existe ai a capacidade sua, de seu folego de vida de agir e viver, e isso tudo é uma religiosidade. Ou seja existe religiosidade dentro e fora da religião. 
   Porém segundo Alexandro  Martins "a religiosidade é praticada por uma pessoa que não tem um compromisso verdadeiro" Depois dessa leitura você acha realmente isso?

As principais diferenças

De posse dos conceitos, vejamos as principais diferenças em termos reais e práticos. 

Na Religião, o indivíduo vai à Igreja, a mesquita ou mesmo sinagoga, frequenta Cultos, participa dos Rituais na condição de frequentador ou líder. Ao voltar para sua casa, esse mesmo indivíduo, dentro do seu mundo cármico e de reajustes ele pode ser um fofoqueiro; pode ser um invejoso; pode ser um estelionatário, ou qualquer outra personalidade distorcida que ele achar  certo em suas convicções equivocadas. Nessas horas ele nunca pensa em termos religiosos e nem divinos, ele é puramente um ser humano horizontal, totalmente personalista e distante de sua individualidade, portanto, distante de Deus “Afastando a religiosidade de Deus”. Ele pensa que o simples ato de ir à uma Igreja ou Templo o coloca na condição de um "religioso" mas e o resto do tempo de sua vida?. 
Dentro do conceito da Religiosidade, as coisas tomam um outro rumo. O indivíduo não é apenas um frequentador de uma Igreja em suas aspirações religiosas, mas ele tem a consciência ininterrupta de que deve a todo instante, em qualquer lugar, ser um praticante das virtudes religiosas baseadas nas leis do amor, da moral e da justiça. Portanto, religioso é aquele que pratica os valores da Religiosidade dentro e fora da Religião.

Na Religião, muitas das vezes se defende uma ideologia ou um dogma, enquanto que a Religiosidade enxerga o todo se baseando em uma filosofia universal. A Religião divide, a Religiosidade agrega valores sem dividir - reconhece todos como filhos de Deus sem querer instigá-los à uma ou outra posição religiosa (Fazer proselitismo indiscriminado).
Na Religiosidade há o respeito e não o fanatismo; respeito que leva ao equilíbrio, à harmonia, à serenidade e à uma boa convivência social.
Vivamos, portanto, a Religiosidade dentro e fora da Religião. Assim, com certeza seremos mais felizes e ficaremos em paz com o Criador.

"Um dogma básico de nossa fé é que "o mundo inteiro está repleto com Sua presença" e que "não há lugar vazio d'Ele" Rebe.

MARX, K. & ENGELS, F. Textos. São Paulo, Edições Sociais, s.d. v. III.
MANOEL, Ivan Ap. O pêndulo da história: tempo e eternidade no pensamento católico. Maringá, EDUEM, 2004.
PIO X, Papa. Sobre as doutrinas modernistas: encíclica Pascendi Domini Gregis e decreto Lamentabili. Petrópolis, Vozes, 1948.
VORGRIMLER, Herbert. Escatologia/Juízo. In, EICHER, Peter. Dicionário de conceitos fundamentais de Teologia. São Paulo, Paulus, 1993.
KANT, Immanuel. Idéia de uma história universal de um ponto de vista cosmopolita. In, Gardiner, P.L. Op.Cit.
FEBVRE, Lucien. O domínio da religião sobre a vida. In, MOTA, Carlos G. (org). L.Febvre: história. São Paulo, Ática, 1978.

 E crescendo graças a vocês obrigado!

Nenhum comentário:

Postar um comentário