O Kotel Ha'Maaravi 24 horas

O Kotel Ha'Maaravi vulgarmente chamado por Muro da lamentações não era, como muitos acreditam, um dos muros do Segundo Templo, propriamente dito. Era a muralha ocidental dentre as quatro que serviam de arrimo à plataforma construída por Herodes, ao redor do Monte do Templo, o chamado Monte Moriá, em cujo topo se erguia, majestoso, o Grande Templo de Jerusalém. Este muro, uma imponente estrutura de 488m de comprimento, 40m de altura e 4,6 m de profundidade, era o setor que ficava mais próximo ao Kodesh ha-Kodashim, o Sagrado dos Sagrados, local mais recôndito do Templo, recinto cuja santidade era tal que somente o Cohen Gadol tinha permissão de lá entrar, uma única vez durante o ano, em Yom Kipur. Enquanto o Beit Hamikdash ainda estava de pé, três vezes por ano os judeus faziam peregrinação à cidade do Rei David. Mas, após sua destruição pelos exércitos romanos em 70 E.C., orações passaram a substituir as oferendas. Dispersos pelos quatro cantos do mundo, os judeus rezavam três vezes ao dia na direção de Jerusalém e, mais especificamente, do Muro Ocidental, chamado em hebraico simplesmente de Ha'Kotel, o Muro. Isto porque, segundo nossa tradição mística, as orações de todas as partes do mundo dirigem-se a Jerusalém, especificamente ao local onde se erguia o Templo Sagrado - centro do universo espiritual, ponto onde se encontram o Infinito e o finito - e de lá ascendem aos Céus.
Parede Ocidental
Praça de oração
Arco