Pesquisadores retiram material arqueológico em Boa Esperança



A cerca de 600 metros do Rio Jacaré-Guaçu, em área pertencente ao município de Boa Esperança do Sul, distante 47 quilômetros de Jaú, dois buracos de um metro quadrado por 1,4 metro de profundidade podem conter a comprovação de que o homem habitou essa região há mais de 14 mil anos. As escavações, feitas no sítio arqueológico Boa Esperança do Sul 2, coletaram
material para datação e fizeram estudo geológico da área.

À frente dos trabalhos – que se estenderam durante uma semana até meados do mês – equipes da Universidade de São Paulo (USP) e da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), além da Fundação Araporã, de Araraquara, e do Museu de Arqueologia e Palenteologia de Araraquara. O objetivo dessa prospecção, uma vez que a área já foi explorada anteriormente, é referendar datação de 14,5 mil anos de ocupação humana. O resultado fora obtido em 2010 com material retirado do sítio.

Agora, as análises laboratoriais serão feitas nos Estados Unidos, no renomado Beta Analytic. Do total de objetos coletados – basicamente pedras – foram selecionadas três amostras de datação por luminescência opticamente estimulada (LOE). Além disso, foram coletadas amostras de carvão, uma das quais será enviada para datação por C14 (carbono 14). O resultado deve sair em cerca de 90 dias.

“As amostras estavam em diferentes níveis de profundidade: uma a 113 centímetros, outra a 92 centímetros e a última a 54 centímetros. O carvão encontrado foi raro, sendo assim, apenas uma amostra foi enviada para datação, encontrado a 118 centímetros de profundidade”, afirma o historiador e arqueólogo jauense Fabio Grossi dos Santos, que explora o sítio em Boa Esperança do Sul desde 2003.

O pesquisador explica que é muito difícil encontrar material orgânico – como carbono ou estilhas ósseas – nesse tipo de escavação arqueológica, pois tem decomposição mais rápida do que minerais. As pedras encontradas, porém, contêm indícios de que foram trabalhadas pela ação humana – provavelmente paleoíndios, antepassados dos índios que habitaram a região há milhares de anos. Basicamente, há três tipos de funcionalidade para as pedras: para perfurar ou cortar, raspar e fazer outras ferramentas.

Clima

Paralelamente aos trabalhos arqueológicos, equipe de geólogos da Unicamp coletou amostras de solo do sítio arqueológico Boa Esperança do Sul 2. A ideia é reconstituir o paleoambiente, já que as condições climáticas e geológicas de 10 mil anos atrás eram diversas das atuais. A hipótese inicial era que as pessoas habitavam ambiente significativamente mais frio e seco.
Quer seguir o blog? Vá até o blog principal clicando aqui!.

Nenhum comentário